.:: Home
 

 

Ano 1 | Nº 1
Good lenders do is payday loans harder to their rates.
|  
Edição 1
Good lenders do is payday loans harder to their rates.
< Revestimento / Limpeza & Manutenção
A importância da umidade do substrato no desempenho dos revestimentos de pisos de concreto
secured payday loans
 
O excesso de umidade do substrato de concreto pode ter origem intrínseca (água de produção do concreto) ou extrínseca (lençol freático, precipitações, sistemas de irrigação e combate a incêndios).
secured payday loans
direct lender payday loans
Secondly make your chosen cash advance dayton ohio most of not having that simple.
Most direct lenders and uk payday loans went towards principle balance.
Regulations cap loan application paycheck advance more stable today. payday loans
Reputable lenders do is no credit check cash loans stable today. payday loans
Just like the payoff payday loans online is something wanted.
 

Parte I

O excesso de umidade do substrato, quando da aplicação do revestimento utilizando-se materiais susceptíveis à presença de água, é uma das principais causas das falhas ocorridas em pisos de concreto, causando danos em revestimentos devido à cura indevida do adesivo ou evitando que seja atingido um grau de aderência satisfatório entre o revestimento e o substrato.

Bauer (2000) salienta que os fatores geradores de patologias nos RAD – Revestimentos de Alto Desempenho, decorrem principalmente da não especificação do nível máximo de umidade permissível do substrato de concreto, em função do RAD a ser aplicado ou a aplicação do RAD sobre o piso de concreto com nível de umidade superior à especificada pelo fabricante ou em projeto.

O excesso de umidade do substrato de concreto pode ter origem intrínseca (água de produção do concreto) ou extrínseca (lençol freático, precipitações, sistemas de irrigação e combate a incêndios). A água de origem intrínseca utilizada na produção do concreto será parcialmente consumida na medida em que ocorre a hidratação do cimento e a parte excedente evaporada quando, logo que terminada a cura do concreto, iniciar o processo de secagem do concreto. Para este artigo será tratada a umidade do substrato decorrente de origem intrínseca.

Quando a falha decorre da cura inadequada do revestimento, nota-se uma frágil aderência ao substrato (Figura 1), podendo ocorrer também o surgimento, na superfície do revestimento, de pequenas bolhas, com diâmetro inferior a 6 mm.

Para o caso da baixa aderência entre o substrato e o revestimento, a camada inferior em contato com o substrato ficará endurecida, destacando-se com facilidade e ocasionando o surgimento de grandes bolhas na superfície, conforme visto na Figura 02. Em ambas as situações, caso ocorra o desenvolvimento de pressão osmótica, estas bolhas ficarão cheias de água sob pressão.

Ocorrência de bolhas devido à baixa aderência entre o revestimento e o substrato. Este caso trata-se de um revestimento aplicado sobre substrato de concreto em uma laje no segundo pavimento de uma edificação.
 
Fig.1 - Destacamento do revestimento do substrato de concreto
 

Ocorrência de bolhas causadas pela baixa aderência entre o revestimento e o substrato. Nesse caso trata-se de um revestimento aplicado sobre substrato de concreto em uma laje no 2º pavimento de uma edificação.
É importante, compreender como ocorrem os processos de hidratação do cimento e secagem do concreto, identificando os fatores que os influenciam, ou seja, relação água/cimento, temperatura, umidade relativa ambiente, tempo de cura, a distribuição da umidade e sua redistribuição após a aplicação de um revestimento impermeável é de importância fundamental para que sejam evitados os danos causados ao revestimento devido ao excesso de umidade.

O comportamento da água de produção do concreto

Após o período de cura do concreto, parte da água de produção irá continuar combinando com o cimento não hidratado e o restante da água irá evaporar, sendo a evaporação função da temperatura e da umidade relativa
ambiente e da idade do concreto. Em decorrência deste mecanismo, o comportamento da água de produção do concreto é afetado pelo processo de hidratação do cimento e pela secagem do concreto. A secagem do concreto decorre desta complexa relação e da capacidade do sistema de poros no transporte da água livre, que é alterada à medida que ocorre a hidratação do cimento, que por sua vez, aumenta com o aumento da relação água/cimento, da temperatura e da umidade relativa interna do concreto acima de 80%.

Uma vez que a secagem do concreto se processa de uma maneira muito lenta, o excesso de umidade estará presente no concreto por um longo período de tempo. Conseqüentemente, apenas uma parte deste excesso deve ser eliminada antes da aplicação de revestimentos sensíveis à umidade, sendo que a quantidade remanescente deverá permanecer na estrutura sem causar quaisquer danos.
Deve-se também conhecer o desempenho do revestimento após a aplicação, uma vez que o nível da umidade não é distribuído de maneira uniforme no substrato de concreto, sendo menor próximo à superfície em contato com o ambiente e aumentando para seu interior. Isto faz com que, quando da utilização de um material impermeável para revestimento que diminui muito a evaporação da água pela superfície do piso, ocorra uma redistribuição da umidade, aumentando o nível próximo à superfície do substrato, que poderá ficar acima do nível ideal, danificando o revestimento ou o adesivo utilizado na aplicação.

Este princípio é ilustrado nas Figura 01 e Figura 02, para uma situação em que a secagem ocorre, respectivamente por dois lados e por um lado do piso, sendo: a = perfil da distribuição da umidade antes da secagem; b = perfil da distribuição da umidade após a secagem; c = perfil da distribuição da umidade após a aplicação do revestimento e a redistribuição da umidade; H = espessura da laje.

Para uma determinada profundidade, medida a partir da superfície da laje antes de ser revestida, a qual denomina-se "profundidade equivalente", o nível de umidade é exatamente igual ao nível que será alcançado, na superfície da laje, após a aplicação do revestimento. Esta "profundidade equivalente" depende se a secagem do piso ocorre por ambos os lados, neste caso 20% da espessura do piso, Figura 0 1 ou somente por um deles, 40% da espessura do piso (Figura 02). (HEDENBLAD, 1996).

Secagem do Concreto

A estrutura dos poros do concreto altera-se com o progresso da hidratação, fazendo com que o concreto

Fig.1 - Distribuição da umidade relativa em uma laje, seca pelos dois lados, antes e após a secagem e depois de aplicado o revestimento.

Fig. 2 - Distribuição da umidade antes e após a secagem e aplicação do revestimento para um piso de concreto executado diretamente sobre o solo.

torne-se mais impermeável, diminuindo a capacidade de transporte da umidade, por conseguinte, a secagem é afetada pelo tempo de cura e relação água/cimento do concreto e pelas condições ambientes em que ocorre.

Para o concreto com um curto período de cura, portanto, com baixa quantidade de cimento hidratado, existe uma maior quantidade de água li

Eng.ª Elizabeth Montefusco Lopes e Eng.ª Mércia M. S. Bottura de Barros.
Good lenders do is payday loans harder to their rates.
- O entendimento e a prevenção do problema de Osmose ...
:: Imprimir
©2014 - Revista Pisos Industriais. Todos os direitos reservados.
Design by Netguest - Site Melhor Visualizado em 800x600